Lingviny / Desafios da tradução no futebol — existe uma solução simples?

Desafios da tradução no futebol — existe uma solução simples?

Nós conversamos com Roman Askhabadze sobre a importância de conhecer os idiomas, a tradução automática e os desafios da troca de e-mails com pessoas de diferentes países. Formado na Universidade Estatal Linguística de Moscou [Moscow State Linguistic University], Roman passou de intérprete a diretor geral do clube de futebol Spartak Moscou [FC Spartak Moscow] da Rússia e, mais tarde, do clube de futebol Banants [FC Banants] de Yerevan na Armênia.



Quais idiomas você fala?

Meu idioma nativo é o russo e também sou fluente em espanhol, inglês e português.

A sua carreira passou de intérprete para diretor geral de um grande clube de futebol da Rússia. De todas as pessoas, você provavelmente é a que melhor conhece todos os aspectos da área de tradução porque você esteve em ambos os lados. Quais dificuldades você teve que enfrentar?

As principais dificuldades foram a comunicação com vários parceiros e instituições internacionais. Por exemplo, havia sempre um problema com a troca de e-mails com a FIFA e outras instituições internacionais, parceiros, agentes e clubes de futebol do exterior. Isso piorava quando o idioma de comunicação era menos comum no mundo do futebol, como por exemplo, o chinês.

Como você lidava com essas situações?

Uma vez nós estávamos negociando a transferência de um dos jogadores com um clube de futebol chinês. O processou de negociação envolveu dúzias de e-mails e ligações telefônicas. Como havia poucas pessoas naquele clube chinês que falavam inglês, isso fez com que o processo demorasse. Finalmente, nós decidimos buscar a ajuda de uma agência de tradução profissional. Nós tivemos que traduzir vários documentos para finalizar a transferência. O processo de tradução levou muito tempo, e nós estávamos à beira de perder o período da transferência. Nós conseguimos fechar o acordo no último minuto. Foi estressante.

Quando eu comecei como diretor adjunto na Spartak, eu sempre contratava profissionais jovens que falavam pelo menos um idioma (inglês), mas frequentemente nós enfrentávamos dificuldades com a troca de e-mails em outros idiomas. Por exemplo, eu tive de assumir a comunicação com a Espanha, Portugal e América Latina. No meu caso, eu sabia os idiomas. Mas eu posso imaginar como seria difícil para alguém que não fala esses idiomas e tivesse que responder dúzias de e-mails em vários idiomas. Há claramente um problema de comunicação quando ambas as partes não falam bem o inglês.

Então, o que dizer das agências de tradução online? Elas poderiam ajudar com a tradução de e-mails e documentos.

Eu acho que nós fizemos isso apenas uma vez em 5 a 6 anos.

Por quê?

Nós tentávamos fazer as traduções internamente, mesmo que essa não fosse a maneira mais eficiente. Porque há uma barreira psicológica para qualquer gerente ou pessoa em entregar documentos importantes para outra pessoa. Além disso, leva muito tempo para enviar documentos, chegar a um acordo sobre o preço, aprovar o preço e, então, aguardar a entrega da tradução. A maioria das nossas traduções tinham que ser urgentes e dificilmente alguma agência seria capaz de entregar a tradução dentro dos nossos prazos.

O que dizer do Google Tradutor que agora alega ser quase idêntico à tradução humana?

Você sabe, se a tradução automática tem apenas 1% de erro (e está muito longe disso), como um profissional, eu não iria querer usá-la. Se estamos falando sobre respeito e relações profissionais de parceria, eu realmente acho que usar a tradução automática é algo desrespeitoso com seu parceiro ou cliente.

Que conselho você daria a profissionais que tem contatos internacionais e lidam com diferentes idiomas?

Eu posso dar 2 conselhos: aprenda os idiomas ou encontre o serviço que lhe ajudará com as suas trocas de correspondências de negócios profissionais. A chave é que isso deve ser rápido, transparente e confidencial.